Fique esperto para não cair no golpe do cartão trocado no Carnaval

Compartilhe:

Todo cuidado é pouco para se evitar problemas durante o Carnaval. Além de evitar a violência em blocos, é importante cuidar dos seus pertences para não amargar prejuízos. Para evitar cair no golpe do cartão de crédito trocado, cada vez mais comum, principalmente em eventos públicos com aglomerações, se puder evite levá-lo para a folia.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e alguns bancos têm feito campanhas para conscientizar os consumidores a ficarem atentos com seus cartões e senhas, enviando mensagens de SMS para os correntistas alertando sobre esse tipo de golpe.

Para complicar a vida de quem cai no golpe, o Superior Tribunal de Justiça (STF) tem julgado a favor dos bancos quando se trata de transações feitas com cartão com chip e senha do correntista.

Nas decisões, os magistrados acreditam que são as vítimas dos golpes que se descuidaram e foram negligentes com a senha e o cartão. Também pedem provas de que houve, de fato, uma fraude.

Assim, fique atento ao efetuar pagamentos na rua e sempre verifique se o cartão entregue é o correto. Se for vítima do golpe, faça um boletim de ocorrência, pois isso ajuda a polícia a elucidar casos semelhantes.

Confira as dicas para não cair no golpe do cartão trocado:

* Leve dinheiro vivo para os blocos de rua e deixe os cartões em casa. Se for furtado, será apenas aquela quantia que estava carregando e não o saldo da sua conta corrente ou dos cartões;

* Fique de olho no cartão na hora de passá-lo na máquina. Não o entregue diretamente ao vendedor, espere ele lhe apresentar a máquina de cartão;

* Se seu cartão for de crédito ou múltiplo, apague o código de segurança impresso no verso;

* Ao digitar a senha, evite que o vendedor veja e a memorie.  Ao concluir a transação, retire você mesmo o cartão da máquina;

* Não compre substâncias ilegais com o cartão. Essa dica parece óbvia, mas não custa reforçar;

* Coloque um adesivo chamativo no cartão para você conseguir identificá-lo de longe;

* Sempre confira o valor que o vendedor digitar na máquina de cartão. Muitas vezes, os golpistas fazem você digitar a senha no campo do valor da compra, deixando os números expostos;

* Assim que receber o cartão, confira o nome. Se não for o seu, ligue imediatamente para o banco para cancelá-lo;

* Busque seus direitos. A identificação de movimentações bancárias atípicas são também responsabilidade do banco.

Fonte: Imprensa do Sindicato, com informações do Portal Vermelho.

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2019/2020

Ver todas »

Facebook