Construindo nosso futuro

A profissão de vigilante surgiu por volta do ano 1800, para proteger o comércio e os bancos. No Brasil, o serviço de vigilância profissional teve início em meados da década de 1960, durante o regime militar.

Anos depois, os vigilantes começam a se organizar, enfrentando muitas dificuldades, devido à repressão da ditadura, que combatia o direito de livre organização.

Em 1979, após muita luta, é fundada a primeira associação de vigilantes, em Brasília (DF), abrindo caminho para o surgimento de diversas entidades representativas da categoria em todo o País.

Em nosso Estado, é fundada a Associação Profissional dos Vigilantes de Minas Gerais, que funcionou em uma pequena sala no centro de Belo Horizonte.

Naquela época, a profissão de vigilante não era regulamentada e qualquer pessoa atuava como vigilante, sem exigência de curso ou comprovação de escolaridade.

A partir daí, os vigilantes se organizam cada vez mais e fundaram, em 1985, o Sindicato dos Vigilantes de Minas Gerais, o segundo do País. A Carta Sindical, documento que autorizou e reconheceu o Sindicato, foi concedida em 1º de maio de 1987.

Dez anos depois, em 1997, a chapa “Unidade na luta”, encabeçada por Edilson Silva, venceu as eleições sindicais.

O Sindicato passa a viver um novo tempo, colocando um ponto-final em anos de desmandos e falcatruas em sua administração.

A nova diretoria, com o apoio dos trabalhadores, garantiu uma série de conquistas para a categoria, como a sede própria da entidade, na Rua Curitiba, no centro de Belo Horizonte.

A nova sede se torna a grande referência para os vigilantes, a sua segunda casa. Desde então, a diretoria do Sindicato encabeça diversas lutas em favor dos vigilantes, como manifestações, paralisações e greves, por melhores salários, condições de trabalho e benefícios.

Conquistas como reajustes salariais, vale-transporte, cesta básica, convênio médico e odontológico, colete à prova de balas, banquinho para descanso e o adicional de periculosidade de 30% são alguns dos avanços obtidos pela diretoria nestes quase vinte anos à frente do Sindicato.

Além de lutar por melhores salários, condições de trabalho e benefícios, o Sindicato passou a oferecer uma série de serviços a seus associados, como assistência jurídica, convênios médicos e odontológicos, parcerias comerciais, com faculdades e clubes.

O Sindicato também passou a promover atividades como a comemoração anual do Dia do Vigilante, o “Café com Vigilantes”, o encontro de mulheres e o torneio de futebol.

Hoje, a profissão é regulamentada e os vigilantes são reconhecidos e respeitados. Em Minas, a categoria conta com um grande Sindicato, motivo de orgulho para todos.

Ainda são muitos os desafios a serem vencidos, mas, com a ajuda e participação de todos, é possível avançar ainda mais. Participe você também dessa história, fique sócio do Sindicato!

Convenção Coletiva

Convenções Coletivas

Convenção Coletiva 2018

Ver todas »

Facebook